Foto: Max Schwoelk 


Catedral Santo Antônio e o Monumento ao Desbravador (Foto: tripadvisor)


Hoje uma turista em Santa Catarina vai para o oeste do estado, falar de Chapecó.

Chapecó fica a 550 km de Florianópolis. Além do caminho rodoviário, do aeroporto de Florianópolis partem voos para Chapecó, trecho que leva menos de uma hora.

A cidade é linda, tem uma baita infraestrutura, muito bem cuidada, com jardins e ruas arborizadas.

O maior destaque da cidade e da região oeste como um todo é o agronegócio. Chapecó é um grande exportador de produtos alimentícios industrializados, mas também um importante centro industrial, financeiro e educacional.

O turismo de negócios é muito forte e concentrado nos eventos relacionados ao agronegócio, que foram interrompidos por causa da pandemia do coronavírus.

Mas Chapecó também tem diversas opções de passeios inesquecíveis!

No centro, tem a belíssima Catedral Santo Antônio e o Monumento ao Desbravador, figura de um gaúcho empunhando um machado, símbolo do trabalho e da luta. Lá, os costumes gaúchos são preservados em diversos CTGs (Centros de Tradições Gaúchas).


Arena Condá (Foto: tripadvisor)


Dá pra programar uma visita à Arena Condá, ao Ecoparque, à Praça Coronel Bertaso e ao Parque das Palmeiras. No entorno, você encontra uma série de estâncias hidrominerais, cachoeiras e pode admirar as paisagens naturais do Vale do Rio Uruguai.



Vale do Rio Uruguai (Foto: tripadvisor)

Distante apenas 10 km do centro, tem a reserva Indígena Ximbangue, que apresenta aos visitantes os costumes dos primeiros habitantes da região e comercializa artesanato produzido pelos índios.

Hmm.. deixa eu apresentar minhas origens! Minha família é de Saudades, uma pequena linda cidade que fica a 60 km de Chapecó. Vamos chegar ao oeste via Chapecó e outro dia mostro Saudades para vocês.

O passeio é lindo e o povo extremamente acolhedor. Super indico. Visite Chapecó!

Eu sou Fernanda Thiesen Furtado, uma turista em Santa Catarina.

Jornalista, atuo há 20 anos com Assessoria de Imprensa, Produção de Conteúdo, Comunicação Empresarial e Marketing Corporativo.

thiesen.fernanda@gmail.com

Cel./WhatsApp: 47 98803-8218

Florianópolis é muito conhecida pelas atrações da região Leste e Norte. Mas hoje trago para vocês uma sugestão de incluir o sul da ilha em seu roteiro. Particularmente, é minha região favorita! Demorei muito para conhecer e agradeço sempre pela vida ter me trazido até esta região que hoje é meu quintal.


1- Ilha do Campeche

Essa primeira razão, por si só, já se basta, é um verdadeiro paraíso! Com águas cristalinas e areias branquinhas, fica localizada bem em frente à praia do Campeche. A ilha foi tombada como Patrimônio Arqueológico e Paisagístico Nacional pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, então a visitação é bastante controlada, com número máximo de visitantes por dia.


Na ilha você encontra trilhas, restaurante, banheiro e também muuuitos quatis. Não deixe sua mochila sozinha, fique sempre por perto, caso contrário os quatis irão atacá-la, quem avisa amigo é! hehe


Foto: @suefaaround



2- Lagoa do Peri

O Parque Municipal da Lagoa do Peri é uma reserva biológica, onde está a maior lagoa de água doce do litoral de Santa Catarina. No centro de visitações você encontra restaurante, aluguel de SUP e caiaque, banheiros, espaços para piquenique e muita natureza abundante. Normalmente é frequentado por famílias com crianças, já que não tem ondas. Lá também fica o Projeto Lontra, um centro de pesquisas desses animais tããão fofos! O local é aberto a visitação. Na lagoa também tem trilhas e até cachoeira. Simplesmente AMO a Lagoa do Peri, está com certeza entre meus 3 lugares favoritos de Floripa.


Lagoa do Peri


3- Diversas trilhas

O sul da ilha tem diversas opções de trilhas, com diferentes níveis de dificuldade. As principais são:


- Lagoinha do Leste (via praia do Matadeiro ou Pântano do Sul)

- Naufragados (Saindo da Caieira e indo até a praia de Naufragados)

- Trilha da Gurita (Lagoa do Peri)

- Morro do Lampião (Campeche)

- Saquinho (Saindo da praia da Solidão)

- Sertão do Ribeirão


Lagoinha do Leste - Foto: vidasemparedes.com.br


4- Praias

As praias do sul da ilha costumam ser muito limpas e as preferidas dos surfistas e também dos praticantes de Kite surf, o que contribui muito para que a região seja vista como "good vibe", além da concentração de diversas terapias holísticas, espirituais, centros de yoga, etc. Nas praias do sul é possível encontrar lugares sem muvuca inclusive no verão, já que existem muitas opções! As principais praias são:


- Campeche

- Matadeiro

- Solidão

- Armação

- Açores

- Pântano do Sul

- Lagoinha do Leste (acesso apenas por trilha)

- Naufragados (acesso apenas por trilha)


Praia do Campeche com Ilha do Campeche ao fundo


5- Ribeirão da Ilha

Não tem como não se apaixonar pelos casarios açorianos na Freguesia do Ribeirão da Ilha! Além de serem bem preservados, em muitos deles estão restaurantes de frutos do mar, cafés e lojinhas de artesanato. Na região existe cultivo de ostras, então a sugestão é curtir um pôr do sol, acompanhado de ostras fresquinhas!

Janelas fofas do Ribeirão da Ilha


Poderia é claro apresentar mais diversas razões para conhecer essa região de Floripa, porém com 5 anos morando por aqui aprendi uma coisa: você NUNCA vai parar de descobrir novos cantinhos! Não canso de me surpreender com o que a ilha reserva para nós e para quem vem visitá-la. Não é a toa que é a Ilha da Magia :)



Eu sou a Izabel Soppa, Uma turista em Santa Catarina

Turismóloga, empresária e apaixonada pela vida ao ar livre.

@izabelsoppa

@abrasileirasouvenirs

Visito Joinville todos os anos à trabalho, mas como é sempre tudo tão corrido eu nunca tinha turistado por lá. Em agosto estive na cidade pela primeira vez como turista, com o objetivo principal de conhecer o Jardim Hemerocalis e a floração dos girassóis (já tem post sobre isso aqui e aqui também). Foi a minha primeira vez em um jardim de girassóis e eu amei! Vale muito a pena! Mas fique atento às datas da floração, pois acontece em épocas específicas do ano.



Com a rotina de home office e as limitações do distanciamento social, essa fugidinha pra Joinville foi uma ótima oportunidade para um fim de semana em casal. Além dos girassóis, a programação incluiu ir ao cine drive-in e conhecer algum restaurante diferente.



A previsão era chuva, e eu cheguei a resgatar este post aqui do blog para saber o que fazer em Joinville num fim de semana chuvoso. Chegamos por volta de 16h de sábado, e fomos direto ao Jardim. Estava garoando um pouquinho, mas logo parou e foi bem tranquilo conhecer o lugar. Quando fomos, a floração dos girassóis já estava no fim, maaas em outubro inicia a florada das hemerocallis nacionais e importadas. A flor, que dá nome ao parque, é a estrela do Festival Brasileiro de Hemerocallis, que segue até fevereiro de 2021.



O Parque dos Hemerocallis recebeu, em agosto, o selo Turismo Responsável. Este selo é concedido pelo Ministério do Turismo aos locais de visitação que estão cumprindo todos os protocolos para a prevenção da Covid-19. Também é um incentivo para que visitantes e consumidores sintam-se seguros durante o seu lazer, enquanto o setor se prepara para o retorno gradual às atividades.


Mais informações sobre ingressos, atrações disponíveis e restrições, consulte o site deles previamente.



Nossa escolha de hospedagem foi o Hotel Sabrina: charmoso, com localização estratégica, opções variadas de acomodação e de tarifa, atendimento ótimo e preço super atrativo. O café da manhã é bem completo, tem estacionamento coberto e a limpeza dos quartos e área comuns é impecável, nos sentimos super seguras ao ver todas as recomendações de prevenção ao covid sendo seguidas.

Como já tínhamos ingresso para o cine drive-in, acabamos pedindo um delivery no hotel mesmo pois não daria tempo de sair para jantar. A Open Air Cine não está mais com a atração em Joinville, mas sobre a experiência de ir assistir filme num drive-in: foi a minha primeira vez, e eu gostei bastante. Confesso que superou as minhas expectativas quanto à visibilidade da tela, qualidade do áudio e organização do estacionamento. Super valeu a experiência!


Domingo amanheceu bem chuvoso, então passamos a manhã de preguiça no hotel, e antes de ir embora da cidade escolhemos almoçar no Rosti Haus Batataria. O restaurante é super charmoso, fica em uma casa no bairro Anita Garibaldi, a decoração rústica deixa o ambiente aconchegante e bem fofo. O cardápio é um desafio: todas as opções parecem incríveis!


Optamos por arancinis de entrada, batata rosti de prato principal (tradicional da casa, tínhamos que provar!) e um vinho para acompanhar. Os pratos estavam deliciosos e o atendimento foi ótimo, profissionais simpáticos e eficientes. O preço é justo pela qualidade do produto oferecido e quantidade servida. Vale muito a pena conhecer!



Adorei conhecer Joinville como turista, me surpreendeu. Já quero voltar logo e aproveitar o tanto de dicas que tem aqui no blog!

Eu sou a Mariane Bergmann, Uma Turista em SC, consultora empresarial, apaixonada por história, cultura e gastronomia, e mãe de uma pinscher minúscula que tá sempre nos rolês comigo.

E-mail: mariane.bergmann@gmail.com

Instagram: @marianebergmann

#turismoemimbituba #oquefazeremimbituba #santacatarina #turismoemsantacatarina

#turismoemjoinville #turismoemfloripa #turismoemflorianópolis #economiacriativa #consumoconsciente #economiacolaborativa




Escolha sua Cidade:

Hotel Sabrina Joinville.jpg
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now